Página Inicial Data de criação : 10/02/28 Última actualização : 11/10/17 20:52 / 4 Artigos publicados

Os bebes...  Inserido Sunday 28 February 2010 16:10

Blogue de comocuidardebebes :Como cuidar de bebes:::::, Os bebes...

Quer saber como deve cuidar do seu bebe com carinho.Está no sitio certo..{#}

Link permanente

O Que Deve Fazer Quando O Seu Bebe Está Com Febre.  Inserido Sunday 28 February 2010 23:02

Blogue de comocuidardebebes :Como cuidar de bebes:::::, O Que Deve Fazer Quando O Seu Bebe Está Com Febre.

A febre é um dos sintomas mais frequentes nos bebés, e um dos principais motivos de ansiedade nos pais.


A temperatura corporal considera-se normal quando se situa entre os 36 e os 37 graus, ainda que possa mostrar alguma variação durante o dia, com valores mais baixos nas primeiras horas da manhã e mais altos ao fim da tarde. E também podem registar-se diferenças segundo o lugar onde se avalie: no recto é mais elevada do que na boca e nas axilas. O organismo possui um complexo mecanismo que mantém a temperatura dentro dos limites normais: por exemplo, o movimento ou a alimentação ajudam a produzir calor, e a transpiração ou a abertura dos vasos sanguíneos da pele (pele corada) elimina o seu excesso.

Porque se produz a febre
O aumento da temperatura normal reflecte uma perda do equilíbrio entre a produção de calor e a sua perda, que pode obedecer a diferentes motivos. Nas crianças, o mais frequente são, de longe, as infecções virais e bacterianas. Com efeito, na presença de um agente infeccioso, o organismo liberta substâncias que determinam que o nível de ajuste da temperatura se eleve acima dos seus valores normais.

A febre e as suas manifestações
Os sintomas dependem da intensidade da febre e da idade da criança. Nas mais pequenas pode registar-se só uma diminuição da vitalidade, ou um vómito aparentemente inexplicável, ou perda de apetite. Os mais crescidinhos podem sentir dores de cabeça, de abdómen ou dores musculares. Enquanto a temperatura está a subir, a criança queixa-se de frio e se tem idade para fazê-lo procurará calor. Além disso, pode apresentar tremores e uma coloração acinzentada na pele. Quando se alcança o novo nível térmico, aparecem os sinais clássicos da febre: face avermelhada, pele quente, abatimento ou sonolência, e inclusive delírio.

Como se avalia a temperatura
A medição requer o uso de um termómetro. Hoje em dia existem termómetros especiais para avaliar a temperatura nos bebés sem o risco dos velhos termómetros de vidro. Eis alguns dos exemplos, dos que poderá facilmente adquirir:

- Termómetro electrónico com ponteira maleável (menos agressiva para o bebé) com leitura digital e medida precisa em 30 segundos. Sinal sonoro quando a temperatura é alcançada.

- Termómetro médico Gálio, ecológico, não tóxico.

- Termómetro digital electrónico permite avaliar a temperatura do corpo com rapidez e exactidão. Equipado com um visor de leitura fácil, tem um sinal sonoro que indica o fim da leitura. Além disso, o dispositivo rectal e a sonda flexível facilitam a avaliação rectal da temperatura. São impermeáveis.

- Thermo Touch Baby é um novo termómetro que avalia, em poucos segundos a temperatura na zona da testa. Basta passar a sonda pela testa, na zona da têmpora e, após alguns segundos, um sinal sonoro indica o fim da leitura.

- Kit Termómetro para bebé, para medir a temperatura dos recém-nascidos com facilidade e exactidão. A chupeta com termómetro integrado pode ser introduzida na boca do bebé. A temperatura é medida em poucos segundos. No mesmo kit e para segurança adicional o termómetro digital de ponta flexível, torna a avaliação da temperatura rectal fácil e segura, sem qualquer desconforto para o bebé.

Causas mais frequentes de febre nas crianças

Infecções respiratórias
Quando falamos de "doenças que podem curar-se sozinhas", referimo-nos especificamente às infecções virais. Dentro delas, as mais frequentes são o resfriado, as anginas, a bronquite e a otite, que se caracterizam por espirros, tosse e produção excessiva de mucosidade. Estas situações podem tratar-se mediante a administração de líquidos, antipiréticos e vapores ou nebulizações para fluidificar as mucosidades e facilitar a sua eliminação.

Não obstante, é importante consultar o médico já que, se bem que as infecções das vias aéreas superiores sejam virais, é preciso descartar infecções bacterianas, que requereriam a indicação de um antibiótico.


Doenças eruptivas
Outras infecções virais comuns durante a infância são as chamadas "doenças eruptivas", que se manifestam através de manchinhas rosadas (sarampo, escarlatina, rubéola), ou vesículas (varicela) na pele. Nestas, como também na papeira, durante os primeiros dias a febre pode ser o único sintoma, e ao terceiro ou quarto dia aparece a erupção. Na maioria dos casos, a única indicação é administrar antipiréticos, dado que as defesas do organismo são capazes de neutralisar o vírus por si mesmas.

Infecções urinárias
Quase sempre de origem bacteriana, são outra causa relativamente frequente da febre na infância, especialmente nas meninas. Algumas vezes é possível suspeitar quando a criança sente dor ou chora ao urinar, ou urina com maior frequência, embora a confirmação se obtenha mediante uma análise da urina. Esta situação também requer a administração de um antibiótico.

Infecções gastrointestinais
Além de vómitos e diarreia, podem acompanhar-se de febre. A maioria das vezes a causa é viral, e não requer mais do que suplementar o líquido que se perde em excesso. Mas quando os vómitos são importantes ou nas deposições se observa muco, pus ou sangue, há que consultar o médico dado que pode requerer-se outro tipo de terapêutica ou a reposição de líquido por via endovenosa.

Meningite
Chegamos por fim à causa da maior parte dos nossos temores quando a criança tem febre: a meningite. Num primeiro momento, os sintomas desta doença não se podem distinguir dos da febre em si mesma, mas pode suspeitar-se se a criança alterna irritabilidade com sonolência, se se queixa de dor de cabeça forte, chora de maneira monótona, gemido ou apresenta vómitos intensos. Em todo o caso, somente o médico pode estabelecer a diferença, e será sempre necessário um estrito controlo até que se defina o diagnóstico.

Antipiréticos, quando?
Devido à ansiedade que lhes provoca, quando o bebé tem febre os papás apressam-se a tratar de controlá-la. No entanto, muitas vezes pode ser inofensiva, de maneira que o mais importante é determinar a causa que a produziu. Existem, pelo contrário, duas situações que requerem especialmente a administração de um antipirético: quando a criança se sente muito doente devido à febre, e para prevenir as convulsões febris, quer seja porque existem antecedentes pessoais ou familiares, ou porque a criança padece de alguma doença neurológica.

As temidas convulsões Durante o pico febril, as crianças menores de cinco anos podem sofrer de convulsões (perdas de consciência e movimentos descoordenados ou até a ausência de movimentos). Se bem que esta situação provoque um intenso pânico nos pais, na maioria dos casos a convulsão cede espontaneamente em poucos minutos, sem deixar nenhuma sequela. Uma consulta imediata ajuda a recuperar a tranquilidade, e permite ao médico indicar as medidas para prevenir a repetição dos episódios, ou determinar a necessidade de efectuar estudos posteriores para descartar possíveis factores de pré-disposição.

Link permanente

Quantas horas o bebe deve dormir.  Inserido Sunday 28 February 2010 23:20

Blogue de comocuidardebebes :Como cuidar de bebes:::::, Quantas horas o bebe deve dormir.

Muito embora os períodos de sono sejam diferentes de criança para criança, nos primeiros meses os pais vivem dependentes dos ciclos de sono dos seus bebés.
 

Durante os primeiros meses os recém-nascidos passam a maior parte do tempo a dormir e os sonos podem apenas interromper-se para comer ou para que os pais procedam à sua higiene. Um recém-nascido pode chegar a dormir, nos primeiros tempos, entre 16 e 20 horas por dia.

Os ciclos circadianos - dia/noite - não interferem com os seus períodos de sono e vigília.

O número de horas de sono necessárias é diferente de pessoa para pessoa e, até hoje, não se conhece nenhum estudo que indique claramente qual o tempo de sono necessário para cada pessoa. Todavia, para os bebés existe uma tabela de referência que pode indicar-nos aproximadamente quanto dorme em média uma criança pequena.

À medida que os bebés vão crescendo o número de horas de sono vai diminuindo gradualmente, aumentando assim os seus tempos de vigília.

Se um bebé recém-nascido pode dormir entre 16 e 20 horas por dia, os períodos de sono contínuos são de cerca de três a quatro horas, após o primeiro mês e até cerca dos três meses, o bebé poderá ir diminuindo os seus períodos de sono para 16 a 18 horas por dia, sendo os períodos de sono contínuos muito semelhantes à etapa anterior.

A partir dos quatro meses é natural que a criança divida os seus períodos de sono - nesta altura cerca de 12 a 16 horas - por um período nocturno mais prolongado e por duas sestas diurnas mais curtas. As sestas diurnas - uma no período da manhã e outra no período da tarde - podem ser de aproximadamente uma a duas horas. Durante esta fase o bebé tem períodos de vigília mais longos durante o dia.

A partir desta altura as suas necessidades de sono vão diminuindo e a criança, entre o sono nocturno e as sestas, quando atinge o primeiro ano, pode dormir entre 13 e 15 horas por dia.
 

Os ciclos circadiano

Muito embora os bebés venham preparados para dormir quando nascem, não vêm preparados para saber dormir. O sono, tal como outra aprendizagem - da fala ou a do andar - tem de ser feita com o apoio dos pais.

O bebé antes de nascer vivia entre períodos de sono e vigília sem obedecer aos períodos nocturno e diurno. Assim, depois de nascer, continuará nos ritmos anteriores se os pais não lhe criarem uma rotina de sono.

Esta rotina deverá começar a ser instituída cerca dos quatro meses se os pais não a iniciaram antes.

Para que esta rotina tenha o sucesso desejado, o bebé deve começar por conhecer os ciclos dia/noite - ciclos circadianos. Para que tal suceda, os pais podem começar por manter às escuras o seu quartinho, apenas no período nocturno. No que respeita a ruídos, próprios em qualquer lar, os pais devem apenas contê-los no período nocturno. O bebé irá assim reconhecer o dia e a noite e habituar-se-á a dormir nos dois períodos. No entanto, começará a entender que quando acorda e está escuro, a mãe não brincará com ele e apenas sussurrará junto a ele. Durante o dia, o bebé verificará que a mãe não só falará com ele num tom mais elevado como lhe apresentará alguns estímulos - a roca, os mobiles - e poderá estabelecer outras brincadeiras, como o bater palminhas, fazer coceguinhas, entre outras.
 

A importância do banho

O banho pode ser uma das rotinas mais importantes para o bebé. O banho deve ser dado todas as noites à mesma hora. Para além de acalmar o bebé vai permitir-lhe reconhecer que vai entrar no ciclo nocturno.

O banho seguido da papa e de uma dose de carinho e uma caminha confortável vai fazer com que o bebé entenda que são horas de adormecer.

Muito embora os bebés possam acordar várias vezes durante a noite, os pais, sempre que possível, devem fazer todas as manobras necessárias - amamentar, mudar a fralda - com uma luz ténue e sem produzirem qualquer ruído.

Muitas vezes, o bebé acorda e choraminga e se a mãe não o levantar e lhe fizer uma pequena carícia, ele voltará a adormecer porque apenas sente a presença da mãe, sentir-se-á confortado e retomará o sono.

Link permanente

Tempo de rir com bebes  Inserido Sunday 28 February 2010 23:40

{#}Bebes patinadores é mesmo de rir não acha.

Link permanente

abrir barra
Fechar barra

Deve estar conectado/a para escrever uma mensagem comocuidardebebes

Deve estar conectado/a para adicionar comocuidardebebes os seus amigos

 
Criar um Blog